• Psicoterapia Existencial

    Psicoterapia Existencial

    A psicoterapia existencial valoriza as experiências subjetivas, compreendendo o indivíduo como um ser livre e único, que se faz por meio de suas escolhas.

    Para os existencialistas, não existe uma essência que defina previamente o que uma pessoa é ou como deve ser. Se houvesse uma essência, ela seria resultado da existência.

    Esta abordagem terapêutica tem como fundamento a filosofia existencialista, da qual fazem parte distintos pensadores que trilham caminhos singulares, e que acreditam que cada pessoa têm diante de si várias possibilidades em sua própria vida.

    Todos somos livres para escolher, e por sermos livres, somos consequentemente responsáveis por nossas escolhas. Porém, qualquer escolha que vamos fazer é um risco, antes de escolher não há como saber se uma escolha será ou não melhor do que outra.

    O foco do da psicoterapia existencial está no presente, no que estamos vivendo e sentindo no momento atual. O passado são as experiências que tivemos que podemos utilizar em nosso presente, e o futuro são projetos que dão os propósitos ao nosso presente.

    Cada indivíduo enfrenta problemas próprios da existência humana que todos nós passamos, porém algumas pessoas atravessam por certas questões com maior dificuldade. Sentimos angústia a respeito de um futuro incerto; dificuldades em lidar com as coisas que terminam; exercitamos a liberdade quando tomamos decisões e fazemos renúncias; e sentimos solidão, mesmo estando em contato com pessoas.

    A psicoterapia existencial não trabalha com um padrão do que seja saúde ou do que seja doença, pois o objetivo não é o de conduzir a pessoa de uma situação para outra, mas incentivar que ela tome consciência de seus próprios modos de ser, com a intenção de ampliar seus horizontes existenciais e ir de encontro ou criar sentidos para sua vida.

    Acredita-se que na medida em que o indivíduo vai compreendendo seu modo de ser autêntico, ele passa a fazer escolhas mais coerentes com seus intuitos, se posicionando no mundo mais afinado com o que sente e quer, indo em direção de seus interesses genuínos.

    Cada pessoa tem o direito de ser como é ou como quiser ser. A autenticidade é um processo de busca por si mesmo, por tudo aquilo que o aproxima de sua condição de ser humano singular, diferente dos outros, dos animais e das coisas.

    O terapeuta existencial trabalha no sentido de promover o encontro da pessoa com ela mesma, não para apontar como ela deve ser, mas para compreendê-la de modo a tornar seu modo de ser agradável para si, para que a pessoa se sinta bem sendo ela mesma.


    Por Bruno Carrasco, psicoterapeuta existencial.
  • Textos Relacionados

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário