• A angústia de Ano Novo

    Angústia de Ano Novo

    Todo fim de ano é a mesma história.
    Pessoas festejam, soltam foguetes,
    cantam e bebem, anseiam a mudança.
    Mas ela não vem com a virada do ano.

    Para que a mudança aconteça
    precisamos viver a mudança:
    nos permitir a novos caminhos,
    experimentar outras possibilidades,
    fazer as coisas de um jeito diferente
    e não como estamos acostumados.

    Esperamos que as coisas mudem
    mas somente trocamos o calendário.
    Elas se repetem enquanto nós repetimos.

    Daí surge a angústia do ano novo,
    quando o ano muda e a gente permanece.


    Por Bruno Carrasco, psicoterapeuta existencial.
    *inspirado no poema "Receita de Ano Novo", de Carlos Drummond de Andrade.
  • Textos Relacionados

    Nenhum comentário:

    Postar um comentário