• Psicoterapia Existencial

    Terapia
    A terapia é uma atividade que acontece por meio de um diálogo entre a pessoa atendida e o terapeuta, que se coloca de modo a auxiliar a compreensão de nossas dificuldades e sofrimentos emocionais, para encontrar meios para lidar de maneira mais saudável.

    Fazer terapia possibilita nos conhecer mais profundamente, compreendendo nossos sentimentos e valores pessoais. Conforme percebemos nossas dificuldades de maneira mais ampla, passamos a lidar melhor com elas e encontrar novos meios de resolver.

    A grande intenção da terapia é possibilitar que a pessoa se sinta bem consigo mesma sendo quem é ou como quiser ser.

    Princípios

    • › Toda pessoa é livre para ser como quiser e escolher sua própria vida;
    • › Estamos sempre nos transformando, em busca do que nos faz sentido;
    • › Cada pessoa é única, experimenta e sente a vida de sua maneira;
    • › A vida é cheia de possibilidades e caminhos que escolhemos trilhar;
    • › Podemos fazer escolhas mais saudáveis e satisfatórias para nossa vida.

    Objetivos

    • › Compreender mais profundamente a si mesmo e suas emoções;
    • › Rever o que têm feito da própria vida e suas reais prioridades;
    • › Encontrar, experimentar e criar novos modos de ser;
    • › Perceber e valorizar suas potencialidades;
    • › Estimular a liberdade de ser como deseja e levar a vida de seu modo;
    • › Desenvolver a autonomia para lidar com as dificuldades que atravessa;
    • › Se abrir a novas experiências de vida, tornando-se mais flexível.




    Diferente das terapias que elaboram um diagnóstico da pessoa atendida segundo sua "doença", para ajustá-la a um modelo de "normalidade", a terapia existencial valoriza cada pessoa em seu modo de ser singular, potencializando sua existência e desenvolvendo autonomia para escolher a sua própria vida.

    O foco da terapia não é uma "doença" e seu "tratamento", mas a compreensão dos diferentes modos de ser e de se relacionar de cada um: como se sente sendo como é e como se relaciona consigo mesmo e com os outros, de modo a promover seu autoconhecimento e realização pessoal, possibilitando escolhas mais favoráveis.

    Não é o terapeuta que direciona a pessoa atendida para um caminho específico, mas a própria pessoa, em sua liberdade de ser e de expressar o que sente e quer, que vai encontrando possibilidades. É a pessoa que percebe o que é importante para si e o que não é, o que lhe faz bem e o que não faz, é ela quem trilha o seu próprio caminho na terapia.

    A terapia é um espaço de liberdade para expressar nossas dúvidas, desejos e aflições. O psicoterapeuta valoriza nossa liberdade de ser. Seu papel não é dizer o que devemos fazer, mas nos auxiliar a perceber melhor o que estamos fazendo de nossa vida, de modo a encontrar meios para ir de encontro ao que buscamos.

    Terapeuta

    Bruno Carrasco, psicoterapeuta existencial que atua em favor da valorização de cada pessoa em seu modo de ser singular, promovendo o autoconhecimento e a saúde emocional, para lidar de maneira mais autônoma com as dificuldades que atravessa, ampliando suas possibilidades de ser.